sábado, junho 23, 2012

Mulher ideal... - Prince Cristal


De vez em quando, algumas situações me levam a questionar a mim mesmo qual é o meu tipo de mulher ideal. Acho que acontece com todo mundo, não é?

Eu nunca fui bom em responder a essa pergunta. Sempre a considerei um exemplo de boba racionalidade ou insanidade emocional. E por isso afirmo que vivo no mundo do presente, nunca no passado ou futuro.

Um Canceriano romântico dentro de um Ariano sedutor e com atitude, nunca poderá concluir um gosto por loiras eruditas, pois fatalmente acabará envolvido com uma morena dançarina. A vida é implacável com as nossas convicções. E morre de rir das nossas certezas.


Mesmo assim, me parece útil refletir sobre as qualidades que me cativam. Ainda que seja de uma forma provisória ou num momento que me preparo para meu salto sem para quedas. Não sei se isso ajuda conscientemente nas nossas escolhas, mas certamente contribui para um melhor entendimento de nós mesmos.

Quando eu penso na mulher ideal tendo a olhar para trás e fazer um apanhado das características das pessoas que passaram pela minha vida. A pouco tempo alguém me perguntou sobre quantidade, tentei contar e vi que talvez os dedos das mãos não fosse suficiente... sorri e calei-me... pois isso não importa... Lembro delas e sou forçado a concluir que aquilo que me agrada ou desagrada nas mulheres não é tão diferente daquilo que me agrada ou desagrada nas pessoas.

Trata-se de temperamento, de personalidade, de simplicidade e capacidade de se doar. O que a pessoa tem, fez ou sabe... tende a ser uma consequência do que ela é, da sua história e de seus traumas – e nesse pedaço do “ser” se fixa o meu interesse.


Quando eu penso na mulher ideal, o primeiro adjetivo que me vem à mente é afetuosa. Aprendi, com o passar dos anos, que gosto de ter ao meu redor gente que se vincula e que demonstra carinho, sem ser chata ou neurótica. Gente que esta disposta a compartilhar o dia a dia e não viver um romance de novela onde não existem tarefas domesticas ou necessidades básicas. Nesse particular hoje existe um turbilhão de mulheres centradas, objetivas, cheias de desejos de casar, com foco  e perfeitinhas que se multiplicam como vírus. Racionalidade e distanciamento são virtudes importantes, mas elas não me comovem.  Eu gosto de mulher doce e carinhosa.


Olhando para trás, percebo que eu aprecio a maturidade, independência e originalidade. Não gosto de mulher igual às outras mulheres, daquelas que tem de ser aceitas pelo seu clubinho de amigas, por mais bonita que seja. Quem se confunde com o bando não me atrai. As pessoas têm de ter luz própria, independência, personalidade, estilo. Defeitos, eles existem sim e isso torna interessante o jogo da troca e, às vezes, indispensáveis – afinal, onde você vai arrumar outra mulher como aquela? se ela é única.



Outra coisa da qual eu gosto é elegância, entendida como um jeito de se relacionar com o mundo e com as pessoas. Não se trata apenas de roupas. A elegância de que eu falo começa no jeito de andar, mas se expressa, sobretudo, em atitudes, coerência e palavras. É uma mistura de harmonia, altivez e senso de humor. Eu me incomodo cada vez mais com grossura, tolices e vulgaridade.


Beleza é essencial – mas ela vem em vários formatos: loira, ruiva, alta, magra, cheinha, olhos verdes...? Cabelos pretos são lindos, o corpão é sensacional, baixinhas são sexy e há dezenas de formatos de rostos irresistíveis. Existem também as bonitas neuróticas com complexo nos detalhes e ficam no espelho e "selfie" sem nem perceber como estão coisificadas... essas te questionam a própria beleza como se você fosse o espelho mágico...


Ahhh... também tem a graça, o sorriso e a sensualidade natural, sem as quais a beleza fica muda, mas acreditem meus leitores, a beleza definitivamente não denota idealidade.



 
As fotos aqui são de Elisabeth Taylor (1932-2011). 


Foi atriz e uma das maiores estrelas de Hollyood. Famosa por interpretar o clássico Cleópatra em 1963. Seus olhos cor de violeta eram o destaque de sua beleza expressiva. 

Sua frase clássica: "A felicidade se resume em colecionar amores"

8 comentários:

Anônimo disse...

Cada dia que passo fico mais sua fã... mil beijos...

Anônimo disse...

Encantador sua visão sobre as mulheres...de uma forma simples vc me encanta a cada dia mais... Beijos.

Maria Cecilia disse...

Inteligente, preciso, sensível. Voce me tocou.

Simone disse...

Seu texto me fez refletir muito acerca de tantas decisões que tomei na vida baseada no que as minhas amigas e família iam achar. Na verdade sempre tive medo de não ser aceita no meu bando. Deixei de ser eu mesma. Deixei de ser única. Deixei meu amor passar. Deixei minha vida passar. Hoje vejo que perdi minha vida com medo de ser eu mesma e essas oportunidades nunca mais voltarão. Obrigado Prince.

Anônimo disse...

Resumi tudo que li em uma única palavra:Perfeito.

Anônimo disse...

Achei voce muito exigente

Anônimo disse...

Amei ....

A Mulher é algo realmente lindo...não falo por beleza externa e sim cada uma com seu carisma, naturalidade e mistérios.
E apesar da modernidade dos dias atuais terem nos forçado a em certos momentos sermos um pouco dura eu me encontrei em suas palavras Prince, pois a mulher ideal é aquela que tem uma pitada de cada coisa essencial para a vida e é claro cada pitada sendo utilizada no momento correto;
Adorei seu pensamento ... um homem com tal sensibilidade hoje em dia esta bem difícil encontrar...
Que privilégio telo por perto...
Continue expondo seus pensamentos...
Que nós mulheres estamos adorando...
Bj.

Silvia disse...

Achei interessante sua visão apesar de não aceitar algumas coisas.
Vi seu blog e textos que me agradou muito.
Voltarei a visitar e recomendarei.