domingo, julho 31, 2016

Vivem em nós inúmeros - Fernando Pessoa

Vivem em nós inúmeros;

Se penso ou sinto, ignoro

Quem é que pensa ou sente.

Sou somente o lugar
Onde se sente ou pensa.

Tenho mais almas que uma.
Há mais eus do que eu mesmo.
Existo todavia
Indiferente a todos.
Faço-os calar: eu falo.

Os impulsos cruzados
Do que sinto ou não sinto
Disputam em quem sou.
Ignoro-os. Nada ditam
A quem me sei: eu ’screvo.


Fernando Pessoa 
como Ricardo Reis em 13/11/1935
Esta poesia inspira o Prince Cristal.

2 comentários:

Paula Nogueira disse...

Aqui mostra a dificulda que Fernando Pessoa tinha em relação a todos esses psudónimos que lhe falavam... um doido entre os doidos que somos NÓS!
Um beijo****

Lili disse...

Fernando brilhantemente escreveu o q nós passamos todos os dias: a luta incansável com todos q habitam dentro de nós...
bjocas