domingo, julho 02, 2006

Tristão e Isolda


  Hoje vi este filme e gostei muito. Fui pelo título. A história gira em torno de Clãs que lutam pelo poder na Inglaterra da Idade Média após a queda do Império Romano. Tristão (James Franco), jovem cujos pais são assassinados, é adotado por seu tio, Lorde Marke (Rufus Sewell), e vira seu maior guerreiro. Dado como morto, Tristão é encontrado pela bela Isolda (Sophia Myles). Ela cuida do rapaz e os dois se apaixonam, mas seu nome permanece em segredo. Ele disputa um torneio de lutas e ganha como prêmio a mão da princesa Irlandesa e a concede ao tio Marke, sem saber que ela é Isolda. O casamento trará a paz e a unificação dos clãs, mas a paixão faz com que Tristão e Isolda arrisquem tudo para viver seu amor proibido.


Este filme é uma adaptação do romance de Tristão e Isolda – versão escrita por Béroul, na França, no século XII – teve a sua origem na lenda celta do século IX dos jovens que, de tanto amor, morreram de tanto amar.


Um ponto de relevância no estudo de Tristão e Isolda é a presença de elementos da cultura Celta que permeiam todo o texto, principalmente no que se refere a personagem Isolda, a Loura, princesa celta que é dada em casamento ao Rei Marcos da Cornualha e que vive uma intensa paixão com Tristão, sobrinho do rei e melhor cavaleiro do reino.

4 comentários:

Márcio Pimenta disse...

Bacana o seu blog! Gostei de encontrar poesias de Neruda aqui.

Também sou de Salvador!

Abraços e boa sorte.

Cristiano Contreiras disse...

Tristão e Isolda, assim como Romeo e Juliet, sofreram bastante mas amaram intensamente tudo que foi possivel - na sua breve trajetória.

Tambem gostei muito do filme, de tudo um pouco e me surgiram várias questões.

Gostei do seu blog, conterraneo - inclusive dos posts mais recentes. Do modo como voce escreve!

ah, meu ultimo post tb é sobre Tristao e Isolda.

vou te linkar. abraços

M.Eduarda disse...

Estou louca pra ver esse filme! Estou baixando aqui na net... se bobear ainda consigo assistir essa madrugada! :)
Quanto à minha vida.. realmente, anda parecendo uma novela mexicana.. só espero que após essas "pseudo-tragédias" ela também tenha um final feliz.

beijinhos

Renata Cordeiro disse...

EStou traduzindo o libreto da ópera Tristão e Isolda de Richard Wagner e já li mais de 200 livros livros sobre o assunto. Portanto, er anatural que eu me interessasse pelo filme que já vi umas 100 vezes. Tenho um blog aqui em que faço uma crítica ao filme. Dá uma passadinha lá:
wwwrenatacordeiro.blogspot.com/
Um abraço, Renata Cordeiro
Vou pôr o seu blog nos meus preferidos.