domingo, março 02, 2008

Extase - Cecília Meireles

Deixa-te estar embalado no mar noturno
onde se apaga e acende a salvação.


Deixa-te estar na exalação do sonho sem forma:
em redor do horizonte, vigiam meus braços abertos,
e por cima do céu estão pregados meus olhos, guardando-te.


Deixa-te balançar entre a vida e a morte, sem nenhuma saudade.


Deslisam os planetas, na abundância do tempo que cai.
Nós somos um tênue pólen dos mundos...


Deixa-te estar neste embalo de água geando círculos.
Nem é preciso dormir, para a imaginação desmanchar-se em figuras
ambíguas.

Nem é preciso fazer nada, para se estar na alma de tudo.
Nem é preciso querer mais, que vem de nós um beijo eterno
e afoga a boca da vontade e os seus pedidos...

Nenhum comentário: