terça-feira, fevereiro 07, 2017

Não, devagar - Fernando Pessoa

Devagar, porque não sei
Onde quero ir.

Há entre mim e os meus passos
Uma divergência instintiva.

Há entre quem sou e estou
Uma diferença de verbo
Que corresponde à realidade.

Devagar…
Sim, devagar…
Quero pensar no que quer dizer
Este devagar…
Talvez o mundo exterior tenha pressa demais.

Talvez a alma vulgar queira chegar mais cedo.

Talvez a impressão dos momentos seja muito próxima…

Talvez isso tudo…
Mas o que me preocupa é esta palavra devagar…
O que é que tem que ser devagar?
Se calhar é o universo…
A verdade manda Deus que se diga.

Mas ouviu alguém isso a Deus?


Fernando Pessoa
 como Álvaro de Campos

2 comentários:

Rita disse...

Você consegue ajustar a poesia a imagem. Parabéns.
Adorei!

Daniela disse...

Poema complexo, leva a refletir. As dúvidas que nos levam a seguir a vida e fazer escolhas! Que bela imagem!!! Fiquei pensativa com o poema, porque me estimulou a refletir sobre quem eu poderia ser e como realmente estou. Beijos!!