sábado, março 25, 2017

Confissão - Mario Quintana


Que esta minha paz e este meu amado silêncio, não iludam a ninguém.

Não é a paz de uma cidade bombardeada e deserta, nem tampouco a paz compulsória dos cemitérios.

Acho-me relativamente feliz porque nada de exterior me acontece… mas, em mim, na minha alma, pressinto que vou ter um terremoto!

Um comentário:

Daniela disse...

É Quintana, esse terremoto faz acontecer um turbilhão de coisas dentro da gente. Cada um de nós é quem bem sabe como conviver com nós mesmos em nosso íntimo
Perfeito, Prince! Amo suas postagens!!!
Cadê suas poesias??? Quero mais!!!